Dragdim

Localizado no nordeste de Bacônia, Dragdim mal pode ser chamado de um reino. O limite de sua área se da ao sul pela cordilheira de Nidarm, ao leste e norte pelo mar e ao oeste seu limite é turvo, não se sabendo exatamente onde termina a civilização e começa a área de selvageria onde goblinóides, worgs e outras monstruosidades fazem sua morada. Toda a região é acobertada pela neve e tundras dominam quase tudo que não é montanha e cidade. Sua população é formada principalmente por humanos e anões (das colinas), sendo a presença de outras raças um acontecimento raro.

Com o posto de rei sobre os vilarejos e cidades isoladas pelo clima severo está Falsk, um riquíssimo anão das montanhas que exige muito pouco de seus súditos. Apenas duas tradições são impostas a todos em Dragdim. A primeira é que, ao início do invernameno, os melhores guerreiros sigam para Sneggir (capital do reino) para iniciar os saques ao sul, aumentando assim a riqueza não só do reino, como de todos os envolvidos nas pilhagens. A segunda tradição é a de proteger suas terras contra desconhecidos. Essa ordem geral, que já se tornou um arraigado costume, faz com que a maioria das cidades sejam arredias com viajantes e desconhecidos de maneira geral.

As moedas comuns circulam em Dragdim, contudo, é mais comum que os braceletes sejam utilizados como produto comum para transações comerciais. Os braceletes costumam ter o mesmo valor em toda região, de acordo com o que sejam feitos: prata ( 5 po), prata e ouro (25 po), ouro (50 po), ouro e platina (200 po) ou platina (500 po). Embora incomuns, existem braceletes maiores e mais pesados do que o padrão e até mesmo cravejados de pedras preciosas. Tais braceletes devem ser pesados e seu material avaliado caso a caso.

Localidades: Byedderkop, Sneggir

Dragdim

Bacônia - A Guerra do Corvo vinihigino