O martelo de moradin

O martelo de Moradin é uma relíquia imbuída com um fragmento do próprio criador dos anões. A potência de seu uso varia de acordo com a força de quem o empunha. É sabido que é capaz de criar golens de pedra e de manipular a terra e as pedras de uma maneira geral.

Muito se especula sobre os verdadeiros feitos do martelo mágico conhecido como o martelo de Moradin. Lendas contam que a imensa cordilheira que separa o norte do sul de Bacônia, foi erguida pelos poderes do martelo. Menos improvável do que esta lenda, é a história de que o martelo foi utilizado pelos anões para erguer as muralhas de Thorasir, a cidade construída para durar, como é conhecida. Registros históricos concedem veracidade deste evento onde humanos, elfos e anões se uniram para fundar a cidade.

Desde então o martelo estava desaparecido tendo sido encontrado fragmentado por um grupo de aventureiros no norte de Bacônia. Gwithyr Krow, Krom urro de urso, Sergov e Huskarl Jaaelain tornaram-se aventureiros famosos ao encontrar e unir os fragmentos do martelo e impedir que caísse nas mãos de um cruel arquimago.

O martelo, contudo, não retornou para as mãos do rei dos anões da montanha, como era o combinado. Huskarl Jaaelain, um druida conhecido por criar feras de gelo utilizou o poder do martelo para se tornar o rei local. Com o tempo, a essência anã do martelo influenciou sua personalidade e ele começou uma expansão pelo noroeste de Bacônia.

Algumas décadas depois, Gwithyr Krow, antigo companheiro de aventuras e agora conselheiro real, o traiu, assassinando-o, roubando o martelo e iniciando sua própria expansão, desta vez por todo o norte de Bacônia.

O martelo foi visto pela última vez na invasão à Sneggir, quando foi utilizado para destruir a muralha glacial da cidade. Neste mesmo evento, o martelo caiu nas mãos de uma criatura infernal.

O martelo de moradin

Bacônia - A Guerra do Corvo vinihigino